Confraria dos Pretos Velhos de Umbanda

Compromisso firmado no risco da pemba, aliança feita com as contas do rosário, abençoados e protegidos pela fumaça do cachimbo! Adorei as Almas!

Cultura – Educação – Direitos Sociais – Religião

Mensagens de Umbanda na Gazeta de Limeira

Desde o dia 10 de fevereiro de 2017, a Confraria dos Pretos Velhos de Umbanda, publica a cada quinze dias, no espaço “MENSAGEM” da Gazeta de Limeira, mensagens de elevação espiritual trazidas pelos Mestres Espirituais da Umbanda.

O intuito é mostrar para a sociedade de Limeira que a Umbanda é uma Religião que tem conhecimento, fundamento, caridade, fraternidade, seriedade e principalmente respeito com a diversidade cultural, étnica e religiosa, buscando sempre a evolução interna do ser humano.

Abaixo, disponibilizamos todas as mensagens publicadas, com a foto e data da publicação no jornal.

Gratidão a todos os mestres espirituais e encarnados que nos disponibilizaram seus textos para serem publicados.

Gratidão à diretoria e equipe de profissionais da Gazeta de Limeira pelo respeito à laicidade e pela oportunidade nos concedida. Em especial agradecemos a Vanessa Osava e a Cíntia Ferreira, jornalistas que recebem nossos textos com todo carinho e atenção.

Desejamos que muitos outros textos sejam publicados nesse e nos próximos anos afinal, os Mensageiros de Aruanda estão em plena atividade!

Saravá Fraterno!

Evandro Fernandes

Instituto Cultural Confraria dos Pretos Velhos de Umbanda

Limeira/SP

História da Gazeta de Limeira

Gazeta de Limeira é um jornal impresso diário da cidade de Limeira desde 17 de maio de 1928 que apresenta notícias da cidade e da região.
A Gazeta de Limeira foi fundada para defender o Partido Constitucionalista (PC) em Limeira e apoiar os ideais que culminaram com a Revolução de 32. A primeira capa do jornal foi a visita do General Izidoro Dias Lopes e dos tenentes João Alberto e Miguel Costa à cidade, para divulgar os ideais constitucionalistas, que tinham como adeptos personagens conhecidos da história limeirense, como Maria Thereza de Barros Camargo, que foi prefeita e deputada, e o advogado Octavio Lopes Castello Branco.

Entre os fundadores do jornal, estão Mário Sampaio Martins, J.Vitorino e Álvaro Corrêa, que foi o primeiro diretor, função em que esteve até 1938. O primeiro redator do jornal foi Castello Branco. A sede própria foi possível em 1972, quando foi adquirido o imóvel na rua Senador Vergueiro, 319, onde está a matriz até hoje. Na metade da década de 70, a Gazeta passou a ser presidida pelo advogado Waldemar Lucato, que atuava como colaborador desde os anos 50. Na direção do jornal, Lucato adquiriu novos equipamentos e profissionalizou a elaboração do jornal. Em 1980, a Gazeta passa a ser publicada de terça a domingo. A circulação às segundas-feiras, única na cidade, veio em 1997. Em 1995, o jornal introduziu a cor em sua impressão.

Desde 1996, após a morte de Waldemar Lucato, o jornal passa a ser presidido por seu filho, Roberto Lucato, auxiliado pelos irmãos Fabiana e Eduardo Lucato Neto. Dois projetos com amplo alcance comunitário mostram a participação ativa da Gazeta no município: o Prêmio de Literatura, realizado desde 1991 e que movimenta estudantes de todas as escolas da cidade, incentivando a leitura e a prática da escrita, e a Copa Gazeta de Limeira de Futebol Amador, que desde 1988 movimenta esportistas de toda a região. (fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Gazeta_de_Limeira)

MENSAGENS DE UMBANDA NA GAZETA DE LIMEIRA 

MENSAGEM 01
Cultura e Sabedoria

“O homem possui duas formas de saber: uma cultura material adquirida em suas vidas sucessivas e outra pelo despertar real da sabedoria.
A cultura material vai se descondensando em sabedoria de encarnação, quando o homem sabe aplicá-la. Também poderá adormecer completamente se não for adquirida para alguma utilidade.
Cultura é aquilo que o homem aprende dos outros; sabedoria é o que o constitui a sua própria experiência!”
Espírito Caboclo Mirim
(Médium C.C.T. Benjamin Figueiredo)
Gazeta de Limeira, 10/02/2017

MENSAGEM 02
Limpidez e Altruísmo

“Toda a pureza nas intenções e maior recato na linguagem, abstenção completa de pensamentos egoístas que desdouram a vossa fé, é condição indispensável, a fim de afastar os obreiros do mal, que acossados pela falange da Verdade, procuram na hora extrema escalar os redutos mal fortificados.”
Espírito Caboclo das Sete Encruzilhadas
(Médium Sr. Zélio Fernandino de Moraes)
Gazeta de Limeira, 24/02/2017

MENSAGEM 03
Conhecimento interior

“Aquele que não tiver disciplina para se entender a si próprio, nunca poderá entender os outros. Geralmente o homem vive absorvido pelo rigor imperativo da sua opinião, não percebendo que cada vez mais se escraviza, tornando-se vítima do ambiente da sua “gaiola dourada”.
Conforme ficou dito, o homem é um simples corpúsculo: vive no entanto, a rebeldia intransigente e uma irritação permanente, pelo conhecimento objetivo de se julgar pequeno. Pretende aumentar os seus valores com o acréscimo de imaginações elementares que possam preencher os claros que ele julga vazios.
Nesta forma dolorosa de interpretação puramente interesseira, vai o “homem-pássaro” vivendo na sua gaiola, como simples prisioneiro perpétuo.”
Espírito Caboclo Mirim
(Médium C.C.T. Sr. Benjamin Figueiredo)
Gazeta de Limeira, 10/03/2017

 

MENSAGEM 04
Paciência construtiva
“O homem é grande vítima do seu corpo emocional; aí reside o único segredo que ele próprio criou para desviá-lo do sentido verdadeiro da sua posição. Ele vive o tormento estabelecido e estabilizado por sipróprio nas várias zonas da sua atividade. Ele vive mal na zona do seu lar, na zona profissional, na zona intelectual, na zona pública e até mesmo na zona religiosa. Mantém um desequilíbrio permanente que o traz em sobressaltos, afetando completamente o seu corpo emocional.
Porque o homem, por exemplo, não faz uso da paciência, como única forma de norteá-lo ao caminho dos bons costumes? Se ele tem à sua disposição esta grande amiga – a paciência – porque prefere a desorientação da pressa, para chegar sempre atrasado? O homem nunca conseguirá deixar de estar onde estiver, embora as suas vontades apressadas sempre pretendam os lugares que ele ainda não pode estar.
A paciência construtiva é uma revolta natural contra o imperativo da pressa; por isso, o homem habituado à pressa dificilmente aceita que a paciência possa ajudá-lo a viver melhor! A paciência constrói no homem a disciplina dos bons costumes, permitindo que ele saiba aproveitar as distâncias pelo sentir da sua tranquilidade.”
Espírito Caboclo Mirim
(Médium C.C.T. Sr. Benjamin Figueiredo)
Gazeta de Limeira, 24/03/2017
 

 

MENSAGEM 05
Ego
“Os homens se distanciam de suas capacidades divinas inerentes quando supervalorizam o ego e fortalecem as personalidades atuais e, como se fragmentassem, ignoram suas individualidades imorredouras, integrantes da totalidade cósmica, e se afastam das potencialidades do Criador. Essa oposição do ego avantajado e da personalidade enrijecida causa angústia, pelo medo da morte, pela sensação de finitude que a maioria tem inconsciente, pois a personalidade transitória rebela-se e se amotina contra o plano da Consciência Una, de unidade cósmica sem a temporalidade, impessoal, e onde o eterno é absoluto por todo o sempre.
O vosso atual momento de consciência coletiva está muito longe de vos conduzir à percepção da realidade universal supraconsciente. O homem só encontrará a plenitude espiritual quando encontrar a sua realidade interna de espírito infinito, deixar de identificar-se com o ego e substituir a instabilidade existencial, a ansiedade e a volatilidade exterior das coisas que o cercam e iludem, e voltar-se para a libertação da sua centelha espiritual escravizada pelo egoísmo e pelo eu inferior.”
Espírito Ramatís
(Médium Sr. Norberto Peixoto)
Gazeta de Limeira, 05/04/2017

 

MENSAGEM 06
Livre Arbítrio
“Na Escola da Vida cada um aprende a ler o seu Evangelho íntimo, para corrigir, sozinho, os desacertos que praticou impensadamente em outras encarnações.
Nós sabemos que a Lei do Livre Arbítrio é imutável e, assim, qualquer interferência estranha no destino de cada um é sempre prejudicial ao bom equilíbrio secreto do nosso semelhante.
Cada um tem de se corrigir sozinho, porque somente sozinho poderá resgatar as faltas que ficaram gravadas no seu carma.
Será sempre pelo aperfeiçoamento espiritual, pelo princípio da própria correção íntima, que poderemos dar de graça, aos pobres de espírito, aquele tesouro que armazenamos na alma.”
Espírito Caboclo Mirim
(Médium C.C.T. Sr. Benjamin Figueiredo)
Gazeta de Limeira, 25/04/2017

 

MENSAGEM 07
Simplicidade e Ignorância
“Um cravo mergulhado na água pútrida, infecta e malcheirosa, continuará com sua beleza e com seu odor originais, mesmo que vossos olhos e nariz o percebam pegajoso e fétido. A flor do craveiro, ao ser lavada, retoma ao seu estado original, com as qualidades peculiares que atraem vossos sentidos. O perfume celestial que tendes em vós é abafado pelos pesados invólucros inferiores que acondicionam o espírito nas formas de vida peculiares aos planos densos de evolução. Nesse sentido, ao terdes os primeiros lapsos de consciência que vos identificam materialmente ao ocupardes um corpo físico, naturalmente sois simples e ignorantes das coisas celestes.
Observai que o ar é o mesmo em toda parte, mas, ao ser colocado dentro de uma jarra tapada na despensa, não é análogo ao frescor ensolarado dos cumes montanhosos. As formas transitórias são úteis a cada meio em que se manifestam, para abrigar a centelha espiritual monádica em seu longo percurso evolutivo. Os atributos essenciais não se alteram, são imutáveis; porém, moldam-se morfologicamente a cada dimensão vibratória. Não perdem a potencialidade crística momentaneamente adormecida e abrigada na forma de veículos da consciência, assim como a argila que se transforma no jarro não deixa de ser o que é, mesmo separada do barreiro.”
Espírito Ramatís
(Médium Sr. Norberto Peixoto)
Gazeta de Limeira, 12/05/2017

 

MENSAGEM 08
Homem primitivo
“O homem é como todos os seres da Natureza; só desperta quando sacudido por uma força superior à sua, para verificar que deve reagir conscientemente e começar a explicar por sua vontade todos os fatos e fenômenos que se processam.
O homem primitivo é aquele que ainda vive os seus sentimentos, sem qualquer compreensão consciente: tudo nele é Natureza adormecida, quer tudo sem saber por que e vive somente o desejo de agradar à sua moda as próprias vontades da curiosidade instintiva, não tendo absolutamente qualquer noção do que esteja fazendo.
Estes homens são como as crianças que precisam de se alimentar sem saber que estão com fome.”
Espírito Caboclo Mirim
(Médium C.C.T. Sr. Benjamin Figueiredo)
Gazeta de Limeira, 26/05/2017

 

MENSAGEM 09
Ação e Reação
“A vida material é uma grande escola prática. Quem não quer seguir o bom caminho tem o direito de ir pelo mau, fazendo-o o mais depressa possível, para que mais rápido vá encontrar as consequências amargas de sua teimosia.”
Espírito Caboclo Mirim
(Médium C.C.T. Sr. Benjamin Figueiredo)
Gazeta de Limeira, 09/06/2017

 

MENSAGEM 10
Caminho e Mudança
“Para iniciar no caminho da luz, há, antes, de se querer uma mudança verdadeira, sair da rotina mecânica e aborrecida que torna a vida cansativa, e acordar dessa apatia psicológica que cada vez mais envolve o ser humano comum. Esse primeiro passo será sempre precedido de um anseio íntimo, de um “chamado” vindo do coração, daquela voz interior que inquieta o ser, que o faz se mover rumo à luz, que, infelizmente, é quase sempre sufocada pelos apelos do mundo! Viver seu processo iniciático é adentrar em seu próprio caminho evolutivo, é a grande epopeia dos heróis de todos os tempos, pois só os bravos e determinados encontrarão as ferramentas certas para vencer os monstros que surgirão, a começar por aquele que jaz adormecido nas trevas da própria alma…”
C.C.T. Sérgio Navarro Teixeira
Livro: Reflexões sobre a Escola de Caboclo Mirim, Editora do Conhecimento, 1ª ed. 2015, págs. 213 e 214
Gazeta de Limeira, 23/06/2017

 

MENSAGEM 11
Disciplina e educação do pensamento
“A disciplina e a educação do pensamento, esse corcel alado, selvagem e anárquico, se impõe, urge! A mediunidade é oportunidade inadiável, é um chamamento ao aperfeiçoamento anímico consciencial. Enquanto presos no invólucro carnal, tendes chance celestial de ressarcimento e estabilização das forças contrárias reguladoras da balança cármica, intensificadas em decorrência das dificuldades inerentes à vida material. Observai o dever de atuação na caridade, direcionando essa potencialidade para o bem de todos ao vosso redor, e educai os sentimentos, expurgando a nódoa do egoísmo a marcar-vos o períspirito, incompatível com o homem contemporâneo, com o carma coletivo e com a idade sideral do orbe terráqueo.”
Espírito Ramatís
(Médium Sr. Norberto Peixoto)
Livro: Chama Crística, Editora do Conhecimento, 3ª ed. 2004, pág. 50
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.650, 07/07/2017, pág. 02

 

MENSAGEM 12
O Caminho
“O caminho que nos conduz ao encontro do Cristo interno é uma via interior; profundamente interior. É uma espiral em ascensão para o infinito. É um caminho doloroso e difícil, já o dissemos. Está também cheio de renúncias. Mas o peregrino tem, contudo, as suas compensações: enquanto os pés sangram na escalada dolorosa da montanha, feridos pelas pedras e pelas urzes das estradas, os olhos do caminheiro vão contemplando novas e mais belas paisagens, novas e mais belas perspectivas de horizontes infinitos, novas e mais deslumbrantes iluminuras de poentes e de alvoradas. É assim que caminhamos para mais perto do azul e das estrelas, para mais perto de Deus. A vista do Espírito através dos olhos da carne vai contemplando novas claridades, e só muito alto, no píncaro da montanha é que eles defrontam a vastidão imensurável, a vastidão maravilhosa das coisas infinitas. E o caminhante ao defrontar este panorama soberbo, amplo, permeado de luz, indefinido, sente-se extático e fica com a alma de joelhos na volúpia da contemplação. É a visão maravilhosa. A visão Suprema, a visão sem formas, o Pensamento incriado. É a luz transcendente. É Deus!”
Padrinho Juruá
Coletânea Umbanda “A Manifestação do Espírito para a Caridade” O que é Umbanda I, 2013, pág. 66, Fundação Biblioteca Nacional
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.670, 21/07/2017, pág. 02

 

MENSAGEM 13
A Fé
“A fé é uma das virtudes fundamentais de todas as religiões. Sublime por excelência, sem ela nada se poderá realizar no terreno espiritual e é por seu intermédio, dependendo da sua maior ou menor intensidade, que as almas se habilitam a levar avante a missão de que se incumbiram.”
José Álvares Pessoa (Capitão Pessoa), Dirigente da Tenda Espírita São Jerônimo – uma das 7 Tendas fundadas pelo
Caboclo das Sete Encruzilhadas – em reportagem no Jornal – “Semanário”, número 91 – ano III – página 15 – 1958)
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.684, 04/08/2017, pág. 02

 

MENSAGEM 14
Vida
“Quem observa cuidadosamente a reação da Vida no tempo e no espaço, verifica que a própria Vida manifestada é dividida em épocas, como que proporcionando a uma determinada coletividade o esplendor do seu apogeu. Depois, passa a se desfazer naturalmente, e como que se transformando, revive para outras épocas que, devidamente reunidas, formam o grande manancial orgânico da energia propulsora.”
Espírito Caboclo Mirim
(Médium C.C.T. Sr. Benjamin Figueiredo)
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.698, 18/08/2017, pág. 02

 

MENSAGEM 15
Moral
“Toda a vida nesta encarnação depende absolutamente daquilo que a moral do indivíduo representa.
Se ele é um homem de bem ou pelo menos se esforça ao máximo para sê-lo, sem dúvida tem a assisti-lo bons e nobres espíritos.
Portanto, o homem no uso de seu livre arbítrio e no exercício de seu comportamento no dia a dia, é quem escolhe, de livre vontade, a influência que pretende receber e realmente recebe.”
Sr. Woodrow Wilson da Matta e Silva
(Mestre Yapacani) – Umbanda Esotérica – Aumbhandhan
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.712, 01/09/2017, pág. 02

 

MENSAGEM 16
Aparências
“Aparências não identificam o saber, a sinceridade, nem as eternas verdades…”
Sr. Woodrow Wilson da Matta e Silva
(Mestre Yapacani) – Umbanda Esotérica – Aumbhandhan
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.725, 15/09/2017, pág. 03

 

MENSAGEM 17
Personalidade
“A personalidade é apenas uma simples máquina com funções materiais, para reproduzir com perfeição aquilo que a Natureza ensina. O Homem, entretanto, sempre teimoso, displicente e mau, insiste em não querer aprender. Não sabendo utilizar sua máquina, vive o pavor das suas preocupações.
A preocupação é uma demonstração de dúvida. Qual o resultado sério, para o homem, do tormento das preocupações?
O homem realmente sério não precisa de preocupações para prejudicar a sua seriedade.
Sabemos que a ação vibratória atrai e repele na razão dos seus direitos. Se fosse possível um entrosamento de ações contrárias, certamente os seres não poderiam estabilizar a sua forma na diferenciação sublime da Natureza. Cada ser tem o direito absoluto de ser aquilo que é.
É de lamentar que o homem, o único perturbado pela indisciplina da sua personalidade, ainda não tenha verificado isto.”
Espírito Caboclo Mirim
(Médium C.C.T. Sr. Benjamin Figueiredo)
Livro: Okê Caboclo, Editora ECO, pág. 32
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.738, 29/09/2017, pág. 02

 

MENSAGEM 18
Sejam humildes
“Meus irmãos, sejam humildes, tenham amor no coração, amor de irmão para irmão, porque vossas mediunidades ficarão mais puras, servindo aos Espíritos superiores que venham a baixar entre vós.”
Espírito Caboclo das Sete Encruzilhadas
(Médium Sr. Zélio Fernandino de Moraes)
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.752, 14/10/2017, pág. 02

 

MENSAGEM 19
Vaidade
“Mantém a humildade, liberando-te da chama da vaidade que ainda te arde no íntimo e que mantém aceso o braseiro alimentado pelo excesso de conhecimento meramente intelectual. Redobra a vigilância nos locais em que as labaredas bajuladoras e o crepitar da azáfama elogiosa podem chamuscar o nascente e titubeante Eu Superior, como acontece de maneira subliminar com muitos médiuns, projetores e espiritualistas sequiosos de notoriedade que recaem em seus atavismos milenares sem o saberem.”
Espírito Ramatís
(Médium Sr. Norberto Peixoto)
Livro: Jardim dos Orixás, Editora do Conhecimento, 1ª ed. 2004, pág. 129
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.765, 27/10/2017, pág. 02

 

MENSAGEM 20
Luz Divina
“Sois portadores de uma luz muito especial.
Uma luz intensa que emite gloriosos raios de paz e caridade.
A luz que cada um de vós emite, isoladamente, tem pouco alcance.
Porém, quando essa luz se une à luz de outros irmãos, ela se torna mais radiante e, possui alcance ilimitado.
Fiquem atentos a luz que vos foi confiada, pois ela iluminará a vossa consciência e o seu calor servirá como bálsamo para aqueles que a vós recorrerem em busca de auxílio espiritual.
Não permitam que essa luz perca a intensidade pela vaidade, orgulho e falta de caridade.
E que a luz brilhante de Nosso Mestre Jesus permaneça sempre intensa em vossos corações.”
Sr. Diamantino Fernandes Trindade
Livro: Iniciação à Umbanda, Editora Orphanake, 3ª ed. 1989, pág. 154
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.778, 10/11/2017, pág. 02

 

MENSAGEM 21
O tempo de Deus
“Muitas vezes, em nossas orações, não somos atendidos pelo simples fato de somente pedirmos, ao invés de, no momento supremo da prece, já agradecer, com a certeza de termos recebido o que necessitamos. Isso é fé.
Isso é a certeza de que o Pai a tudo provê. Tudo está ao alcance da oração; precisa ver se está na vontade de Deus. Muitas vezes não recebemos o que desejávamos pelo simples fato de não ser chegada a hora de termos aquilo em nossas vidas, pois nos perderíamos e não aproveitaríamos o bem recebido.
Dessa forma, Deus guarda o que pedimos em nosso “baú do tesouro pessoal” e nos dará em momento oportuno, quando nos mostrarmos merecedores e aptos a administrar o bem recebido. Tudo o que é nosso, com o devido tempo do nosso amadurecimento, virá em nossas mãos.
Deus nos aceita exatamente como somos. Deus não se preocupa com o que somos, mas sim, com o que fazemos. Deus somente quer de nós, e tem uma só missão para todos: Vivendo a vida que escolhemos, e onde estivermos, que só façamos o bem.”
Padrinho Juruá
Coletânea Umbanda “A Manifestação do Espírito para a Caridade” As Corporações Orixás, 2013, Deus na Umbanda, pág. 22, Fundação Biblioteca Nacional
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.790, 24/11/2017, pág. 02

 

MENSAGEM 22
O céu e o inferno
“O céu e o inferno de cada ser encontram-se dentro de cada um. O autoconhecimento libertador e os sentimentos altruísticos e elevados que direcionam o foco do espírito para além do ego encarnado e da personalidade ilusória, extrapolando as estreitas paredes dele próprio para as dimensões dos planos mental superior e búdico, levam milênios. Quanto mais o ser estiver imbuído de ideais de auxílio ao próximo e amor incondicional, tanto mais se abrirão as portas das verdades espirituais do Além.”
Espírito Ramatís
(Médium Sr. Norberto Peixoto)
Livro: Vozes de Aruanda, Editora do Conhecimento, 1ª ed. 2005, págs. 125 e 126
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.804, 08/12/2017, pág. 02

 

MENSAGEM 23
Não julgue
“O que diferencia um ser por querer caminhar mais rápido que o outro é sua capacidade biopsicossocial, que é movida basicamente por sua “intenção”. Assim, quanto maior a consciência menos tempo ele quer perder e procura desenvolver-se intensamente, pois sente que o tempo na Terra é curto e precisa ser bem aproveitado.
Por isso não julgue o próximo pela religião que ele optou por seguir, pois agora consegue compreender que ele não é a religião, e sim um ser que está buscando o melhor caminho para seguir rumo à sua própria evolução espiritual.”
Tarsila Costa de Oliveira – Sacerdotisa do Templo Cristão Umbanda do Brasil
Livro: Manual de Umbanda para Iniciantes, Autor: Diamantino Fernandes Trindade (Hanamatan Ramayane), Editora Sattva, 1ª ed. 2017, Religião e Espiritualidade pág. 16
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.817, 22/12/2017, pág. 02

 

MENSAGEM 24
Evoluir e Ascender
“O poder de realização de Deus em nós e por nós também é ilimitado, o único limite que existe é o humano. Fica a critério de cada pessoa ampliar esses limites, com sua evolução e ascensão. Por isso dizemos que “a fé remove montanhas”. A fé é algo divino em nós, ampliá-la é aumentar o poder de realização divina em nossa vida.”
Alexandre Cumino
Livro: Deus, Deuses, Divindades e Anjos: teologia, mitologia e angeologia, Editora Madras, 1ª ed. 2008, Limites do Ilimitado pág. 57
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.827, 05/01/2018, pág. 02

 

MENSAGEM 25
O Amor
“O amor é uma qualidade manifestada por meio de sentimentos de afeição, simpatia e atração.
Então chamamos de “dom” essa capacidade comum a todos os seres humanos, que é a de amar. E, se para alguns parece impossível, no entanto, isso se deve ao fato de estarem com os sentidos bloqueados por sentimentos negativos (vícios), que sobrecarregam seus emocionais de energias negativas e os tornam insensíveis ao amor que lhes chega.
Mas após uma descarga violenta desses acúmulos negativos, o ser volta a sentir satisfação no ato de amar e ser amado.”
Espírito Pai Benedito de Aruanda
(Médium Sr. Rubens Saraceni)
Livro: A Evolução dos Espíritos, Editora Madras, 2ª ed. 2008, Dom, as qualidades do ser humano, pág. 108
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.841, 19/01/2018, pág. 02

 

MENSAGEM 26
Caminhando para a Maturidade Espiritual
“Alguns poderão até viver uma catarse íntima, que marca a mudança dos paradigmas de sua vida pessoal. Mas, para a maioria, as transformações são vividas em anos de trabalho duro, muitas vezes só percebidas quando o indivíduo acorda e se dá conta de que não consegue mais se relacionar com o mundo do jeito que fazia antes, pois aquela velha mentalidade mundana precisou perecer nas chamas para dar lugar a uma forma renascida de viver, mais focada e atenta às próprias palavras proferidas e aos pequenos atos praticados.
Não sendo mais o que se era e ainda não plenamente desperto de quem realmente poderá ser, afloram, avidamente, a consciência da responsabilidade assumida diante de sua centelha de vida e uma enorme sede de buscar o amor maior que ainda falta na alma. A sagrada alquimia espiritual está apenas começando.”
C.C.T. Sérgio Navarro Teixeira
Livro: Reflexões sobre a Escola de Caboclo Mirim, Editora do Conhecimento, 1ª ed. 2015, pág. 229
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.855, 02/02/2018, pág. 02

 

MENSAGEM 27
Somos Irmãos
“Aprendemos que nosso valor não está na roupagem, não está na cor da pele ou dos olhos ou mesmo da orientação sexual. Nosso valor está na vida e no outro, em nossas atitudes perante a vida e perante o semelhante. Por mais diferente que ele seja, todos temos uma essência original em comum, todos somos irmãos.”
Alexandre Cumino
Livro: A Umbanda e o Umbandista, Editora Madras, 1ª ed. 2015, Umbanda é Religião de Inclusão Social pág. 46
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.869, 17/02/2018, pág. 02

 

MENSAGEM 28
Ser Crístico
“Jesus sempre valorizou as obras, as realizações. Isso tanto é verdade, que ele nunca esteve adstrito aos templos, sendo toda a sua realização, enquanto esteve na crosta terrestre, no campo, no meio do povo, ao relento e sujeito às intempéries da natureza. O seu templo era o Cosmo, O Universo; a abóboda celeste o seu sustentáculo; sua cátedra as elevações montanhosas, e o seu altar era o seu amor por todos que o cercavam.
O que é ser crístico? O crístico ama desinteressadamente, eleva-se pelo sacrifício próprio, caminha com igualdade e fraternidade entre os seus semelhantes; a sua oferenda é o culto interno de veneração à Divindade; prepondera em seu coração o sentimento de humildade; sabe da sua falibilidade como criatura imersa no escafandro grosseiro da carne; é comprometido com a verdade e tem Deus interiorizado por mérito de suas obras, por conquista individual.
O Cristo-Jesus, quando chamava os justos à sua direita, falava: “Porque destes de comer ao faminto, e de beber ao sedento, e ao peregrino hospedastes, e vestistes o desnudo, e visitastes o enfermo e o encarcerado, vinde, abençoados de meu Pai”.
Muita paz e muita luz!”
Espírito Ramatís
(Médium Sr. Norberto Peixoto)
Livro: Chama Crística, Editora do Conhecimento, 3ª ed. 2004, págs. 125 e 126
Gazeta de Limeira, Ano 87, nº 18.889, 09/03/2018, pág. 04

 

MENSAGEM 29
Amai ao próximo
“Dois fatores específicos podem, entretanto — homens e mulheres que minhas palavras lerem! — classificar-se desde agora como elementos decisivos pró ou contra a vossa felicidade futura: são eles o Bem que houverdes praticado ao longo de vossa vida presente na Terra, e a obediência com que vos houverdes conduzido em relação àquela determinação do Senhor: amai ao próximo como a vós mesmos.
Sim, meus queridos; esta é a chave que abrirá todas as portas à vossa felicidade espiritual. E é tão fácil proceder assim, é tão fácil a todos os homens e mulheres amar ao próximo, que não se compreende a resistência ainda oposta por tantas mentes cultas, a tão salutar princípio evolutivo. Amar ao próximo, irmãos meus, não significa abraçar nem beijar aos vossos semelhantes, absolutamente.
Bastar-vos-á adquirir o hábito de irradiar todos os dias um pensamento de amor, de bondade, de felicidade, em todas as direções, semelhantemente à onda radiofônica, mas feito isto com tal pureza de sentimento, que a onda magnética que do vosso coração se irradiar, conduza realmente vibrações de amor, bondade e felicidade para todos os vossos semelhantes, e não apenas para os vossos amigos e conhecidos. E sabeis, acaso, o que sucede, no instante mesmo em que vossas vibrações fraternais se irradiam em ondas concêntricas, para o largo e para o alto? Simplesmente isto: vossas ondas vibratórias, fundindo-se com outras de igual teor, voltam ampliadas ao vosso coração e ao vosso Espírito, fortalecendo sobremaneira a saúde do vosso corpo e aumentando a vossa luz espiritual.”
Espírito Irmão Tomé
(Médium Sr. Diamantino Coelho Fernandes)
Livro: As Forças do Bem, Editora Trinta e Três, 13ª ed. 2004, págs. 44 e 45
Gazeta de Limeira, Ano 87, n° 18.910, 30/03/2018, pág.04

 

MENSAGEM 30
Olhar para dentro de si
“Ter uma proposta real de crescimento espiritual implica comprometimento, e quantos estão realmente comprometidos com o crescimento espiritual de si mesmos?
Fazer a caridade pura e simplesmente não implica ser uma pessoa melhor, pois, para se tornar melhor, é preciso o autoconhecimento.
Podemos até dizer que muitos fazem a caridade por desencargo de consciência e outros ainda a fazem por vaidade. A partir do momento que se diz que a melhor pessoa é a que faz mais caridade, muitos passam a fazê-la para ser melhor que os outros, e assim tornam-se objetos do Ego e da Vaidade. Qualquer movimento no sentido de ser melhor do que os outros é um movimento do ego. O único crescimento está em ser melhor do que eu mesmo. Isto implica uma análise profunda de autoconhecimento.
Se podemos aprender com todos, também podemos aprender de todas as doutrinas, filosofias e religiões. Só não podemos perder o propósito de aprender, de sermos melhores. Fazer o Bem e não fazer o mal é algo muito simples. Devemos aproveitar a religião para um propósito maior, como nos autoconhecer.
[…] A maioria das pessoas acredita que ter crescimento interior consiste em ler alguns livros e fazer alguns cursos. O crescimento começa com o identificar dos nossos defeitos e procurar caminhos para corrigi-los. Quanto mais comprometidos e sinceros, mais vamos identificá-los e lutar por uma transformação interior.”
Alexandre Cumino
Livro: A Umbanda e o Umbandista, Editora Madras, 1ª ed. 2015, Coragem, Orgulho e Ego págs. 99 e 100
Gazeta de Limeira, Ano 87, n° 18.923, 13/04/2018, pág.04

 

MENSAGEM 31
O Homem
“Cada indivíduo é um universo em si mesmo, a vastidão interior é comparável à vastidão do cosmos. Raros são os que buscam conhecer a vastidão interior, a maioria prefere poupar-se o trabalho, mantendo-se na ignorância. O resultado é a criação de um hiato, um abismo entre o interior e o exterior, gerando a dualidade e o conflito, o sujeito e o objeto. A dor e o sofrimento são consequências dessa fragmentação que se espalha por tudo que o homem toca.
A personalidade humana expressa-se através de pensamentos, sentimentos e ações; deveria haver um perfeito entrelaçamento dessas três instâncias. Para termos Paz devemos direcionar nossos Pensamentos no sentido da Sabedoria; nossos sentimentos no sentido do Amor; nossas ações no sentido da Evolução.
Três são os venenos causadores das distorções da personalidade: egoísmo, vaidade e orgulho.
Se um indivíduo quer ter Paz interior, deve procurar eliminar estes venenos, cultivar a humildade, a simplicidade e a pureza de intenções. Deve ter paciência e perseverança. Saber que o caminho é longo e demorado, que a conquista maior (de si mesmo) é feita no silêncio. Compreender que o crescimento leva o homem a servir, não a ser servido; que os maiores tesouros são imateriais e eternos. Queremos propagar essas realidades e acreditamos que com esforço poderemos criar uma nova sociedade, um novo homem, livre desses venenos, e seremos todos mais felizes.”
Francisco Rivas Neto (Mestre Yamunisiddha Arhapiagha)
Livro: Umbanda – A Proto-Síntese Cósmica, Editora Pensamento, 11ª ed. 2008, pág. 382
Gazeta de Limeira, Ano 87, n° 18.937, 27/04/2018, pág.04

 

MENSAGEM 32
A Razão e a Emoção
“Devemos ser cautelosos em nossos julgamentos e atentos em nossas decisões.
Deus nos deu a capacidade de ver, ouvir e pensar para agir com razão.
Todos nós podemos agir pelo nosso livre-arbítrio, podendo atingir multidões. Porém, cada um será chamado perante Deus em particular para prestar suas contas.
O bom senso nos manda ouvir antes de opinar, não condenar quem já está perdido, não aproveitar da fraqueza de quem já foi vencido.
Diante dos fracos, mostre que é forte, lhes forneça forças; Aos cegos, ofereça a mão; aos que se humilham aos seus pés tenha misericórdia e lhes dê o perdão.
Há momentos em que devemos deixar nossas emoções florirem, sem no entanto perdermos a razão de quem somos.
O sensato age com a razão, o insensato, com a emoção.”
Espírito Helena (Médium Maria Nazareth Dória)
Livro: Joia Rara, Editora Lúmen, 1ª ed. 2006, págs. 65 a 67
Gazeta de Limeira, Ano 87, n° 18.950, 11/05/2018, pág.04

 

MENSAGEM 33
Aqui não falta uma flor!
“Com o coração embrutecido,
onde o ódio parece ter vencido,
o intolerante segue intransigente,
ao apelo do irmão diferente.
Uma Luz então chegou,
humilde, em seu peito, traz o símbolo do Amor,
ouvindo àqueles que mais sabiam,
ensinando aos que ainda se perdiam no caminho.
A Natureza era a devoção,
Sol, Matas, Cachoeira, Rio, Estrada, Mar e Trovão,
Tudo presente em uma só missão:
praticar a Caridade acolhendo ao irmão!
Uma flor então se faz presente,
com seu perfume, alegra a todo o doente,
ensinando o caminho da Evolução:
melhorar seu interior com Verdade e Perdão!
Quando a angústia chegar,
ouça o brado e uma certeza terá:
aqui uma flor nunca há de faltar!”
Poema ao Caboclo das Sete Encruzilhadas
Autor: Evandro Fernandes, Limeira, 22/05/2018
Gazeta de Limeira, Ano 87, n° 18.964, 25/05/2018, pág.04

 

MENSAGEM 34
O Homem em harmonia com a Natureza
“O homem que procura viver o silêncio, vai buscá-lo no tumulto das suas paixões emocionais ou nas imagens gravadas em sua mente, provoca reações de sentimentalismos subjetivos que se tornam ruídos perfeitamente sensíveis à sua própria sensibilidade. O homem-personalidade possui cinco sentidos que permitem sua ligação com a Natureza, estabelece meios de contato que transmitem da Natureza para si e de si para a Natureza, uma harmonia de recíproca fraternidade.
Pelos olhos, o homem fica sabendo que a Vida existe; pode reter as imagens que compõem a liturgia da Natureza para aprender a sentir melhor aquilo que não sabe enxergar. Pelos ouvidos, ele pode sentir a cadência harmoniosa que ritma a grande fraternidade entre os seres. Pelo nariz, recebe da Natureza o perfume salutar e necessário para o desintoxicar do carbono das suas grosserias. Pelo tato, ele vai caminhando vagarosamente para não se prejudicar e nem prejudicar os outros. E pelo paladar, finalmente ele pode provar que as coisas boas da vida não tem o mesmo gosto das coisas más. Estas cinco objetivas refletoras de imagens e transmissoras de vibrações, compõem o poder da personalidade do homem, gravando no seu corpo mental o conhecimento que será recondensado pela individualidade quando ele perder a condição de forma e movimentos.”
Espírito Caboclo Mirim
(Médium C.C.T. Sr. Benjamin Figueiredo)
Livro: Okê Caboclo, Editora ECO, pág. 29
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 18.984, 15/06/2018, pág. 04

 

MENSAGEM 35
Agradecer ao Sagrado
“Sempre poderemos efetuar oferendas a fim de solicitarmos tão somente espiritualidade, paz, amor, saúde, força e condições para conseguirmos resolver nossos problemas com Deus no coração. Não é aconselhável somente proceder a oferendas a fim de obter favores ou facilidades materiais. Lembre-se: “Não devemos pedir à Espiritualidade àquilo que é da nossa competência”, e também “Conquistará tudo na vida como suor do teu rosto”. Toda oferenda é realizada com materiais da Natureza. (…) A Espiritualidade vê o que esta acontecendo e procura ser solicito. As energias dos materiais ali depositados serão utilizadas para o requerente, mas, atentem bem que tudo vai funcionar somente se o oferendante tiver santidade das intenções, mente ilibada, orações, concentração e merecimento. (…) Não cremos que o simples ato de oferendar irá fazer que as forças da Natureza se coloquem ao nosso inteiro dispor para nos dar àquilo que desejamos. A oferta de coisas materiais, com certeza, não será a chave que abrirá as portas de religação da pessoa com os Sagrados Orixás e muito menos com a Espiritualidade Superior. Essa religação só é efetuada através do amor, dedicação, caridade, transformação moral e orações.”
Padrinho Juruá
Livro: O Ritual do Rosário das Santas Almas Benditas, 2011, pág. 91, Fundação Biblioteca Nacional
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 18.998, 29/06/2018, pág. 04

 

MENSAGEM 36
Honrar nossa ancestralidade
“A conexão com nosso passado, com aqueles que vieram antes de nós, nos ajuda a encontrar força e sabedoria para caminhar no futuro. Nós somos o resultado de milhares de pessoas, que viveram, aprenderam, criaram, ensinaram. Eles tornaram possível nossa realidade, errando ou acertando. Eles honravam os que já passavam por nossa Terra. O que eles fizeram no passado impacta as gerações presentes.
A reconexão com os ancestrais ajuda a compreendermos quem nós somos e de onde viemos. Precisamos inventariar o que nos foi deixado de negativo para não repassarmos para as gerações futuras. Precisamos curar as feridas do nosso passado para reestruturarmos o nosso presente e assim termos mais esperanças no futuro. Assim como precisamos conhecer e honrar o que nossos ancestrais nos deixaram. A conexão com os ancestrais nos fornece um sentido de continuidade que nos ajuda em momentos difíceis.
Eles influenciaram nossa aparência física, nosso comportamento atual, nosso inconsciente, nossa energia. Influenciaram nossas escolhas, medos, sonhos, impulsos. Também a nossa etnia, nossas crenças e inspirações.
Para honrar nossos ancestrais precisamos perdoá-los, pois esse ato de perdão ajuda a curar as energias ancestrais negativas, nossa herança negativa. (culpa, ódio, rejeição, raiva, negação, etc.). Senão conseguir perdoar o ato, perdoe a pessoa, isso ajuda a liberar o padrão familiar negativo.”
Trecho do texto “Ancestrais – As Raízes”www.xamanismo.com.br
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 19.011, 13/07/2018, pág. 04

 

MENSAGEM 37
Uma homenagem a Mulher Negra
Sou Mulher
“Sou mulher negra. Sou forte.
Sou lutadora. Sou guerreira.
Me pergunte quem eu sou. Sou afro-brasileira.
Não nego as minhas raízes, pois delas me orgulho.
Sou fruto dos ancestrais. Sou fé. Sou amor, sou mãe e companheira.
Mais uma vez eu digo que sou forte, sou guerreira, não fujo da luta. Hei de morrer assim.
Em nome dos deuses, até quando eles me calarem.
Porém deixarei lembrança desta luta alvissareira.
Grito, falo, choro, rio. Faz parte de mim.
Companheiros me acompanhem. Nós não podemos parar.
Se todos nós dermos as mãos, esta luta vamos ganhar.
E os nossos ancestrais contentes vão ficar.
Hoje é um dia muito lindo – É dia das agbás.
A todos boa noite, meu obrigado, meu odupé.
Em nome de Odudua e também de Oxalá.
São palavras de carinho, de Beata de Yemonjá.”
Livro: Mãe Beata de Yemonjá: guia, cidadã, guerreira / autor Haroldo Costa, Editora Garamound, Fundação Biblioteca Nacional, 2010, pág. 149
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 19.025, 27/07/2018, pág. 04

 

MENSAGEM 38
Quem canta reza duas vezes
“A música em si já tem grande importância em nossas vidas.
Não é diferente com os pontos cantados nos terreiros.
Quando ritmados, criamos uma cadência energética que nos transmuta a outras esferas vibracionais.
Ao entoarmos um ponto, depositamos toda nossa fé e energia nas letras, é como conversar com Deus; você abre seu coração, eleva seu pensamento, e cria-se uma camada de proteção sonora, onde todos que estão na mesma frequência, recebem as irradiações dos guias espirituais.
É através das mãos dos Ogãns, com seus toques certeiros, e das vozes dos curimbeiros, que os pedidos, quer sejam de súplicas, de sustentação, ou agradecimento, chegam ao alto.
Uma corrente mediúnica em harmonia, tornam-se mensageiros da espiritualidade.
Salve todas as curimbas!
Salve os Ogãns!”
Carine Fernandes da Silva
médium e morubixaba umbandista
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 19.039, 10/08/2018, pág. 06

 

MENSAGEM 39
Ser feliz
“A vida humana segue etapas semelhantes em seu aprendizado
constante e ininterrupto, felizes serão quantos puderem isto gravar
em suas mentes materiais de agora, para sua maior felicidade futura. Já sabemos que a morte não significa o termo de coisa alguma, porque a própria organização fisiológica recomeça a viver em novos organismos através da transformação que no túmulo se opera silenciosamente. Mas o Espírito, este apenas se transporta deste plano de vida material ao plano espiritual, onde continua a viver nas condições peculiares a esse plano, desfrutando o que de bom ou mal houver semeado no plano terreno. Certamente ali encontrará velhos amigos, parentes, conhecidos e até inimigos se os tiver, conhecerá a razão de muitos fatos em que foi parte e para os quais não encontrou explicação na Terra, e também se arrependerá amargamente de atos praticados em prejuízo de companheiros de jornada terrena, que poderia ter evitado. Arrepender-se-ão, sobretudo, muitos dos desencarnados, de não terem dedicado maior parte do seu tempo na Terra ao bem do próximo, assim como ao estudo e à meditação sobre a sua própria razão de ser.”
Espírito Irmão Tomé
(Médium Sr. Diamantino Coelho Fernandes)
Livro: As Forças do Bem, Editora Trinta e Três, 13ª ed. 2004, pág. 20
Gazeta de Limeira, Ano 88, n° 19.052, 24/08/2018, pág.04

 

MENSAGEM 40
Oxalá – A Fé
“(…) A Fé, na Umbanda, é um estado de espírito, pelo qual são realizadas as sessões de atendimento às pessoas necessitadas de auxílio espiritual e de orientação religiosa e doutrinária. É sinônimo de trabalho em prol do próximo. A fé é a consciência das faculdades que trazemos adormecidas em nosso íntimo, que precisam germinar e crescer. Ela é a principal via evolutiva, pela qual trazemos o céu para a Terra, sem precisar aguardar a morte do corpo físico, para chegarmos até Deus. Temos Ele vivo, vibrante, atuante e gratificante em nós mesmos.
A Fé se fundamenta em três pilares essenciais, que fortalecem o ser para que tenha bom êxito naquilo que quer, precisa ou pelo qual luta: crença, confiança e certeza. Na Fé não existem dúvidas; ou se crê ou não se crê. A crença é de foro íntimo de quem a tem e, se a temos, ela assegura o bom êxito dos nossos empreendimentos. Se confiamos em Deus, positivamente e com otimismo, atraímos as forças criadoras do Universo. Com a sólida certeza de que Deus existe e está presente em nossas vidas, magnetizamos essa condição de certeza e, quando nos entregamos a essa tarefa, ela será coroada de êxito. (…)”
Livro: Manual Doutrinário, Ritualístico e Comportamental Umbandista, Editora Madras, 1ª ed. 2006, págs. 102 e 103. Coordenadora: Lurdes de Campos Vieira. Supervisão: Rubens Saraceni.
Gazeta de Limeira, Ano 88, n° 19.066, 07/09/2018, pág.04.

 

MENSAGEM 41
Orar
“(…) Orar é conversar com Deus, e isto exige uma certa preparação interior. Devemos nos dirigir a Deus como a um amigo solene, mas sobretudo, como a um amigo QUERIDO. Orar é também um ato sagrado, exigindo portanto, uma disposição de ânimo, uma ritualística que transforme este instante místico de aproximação com Deus em algo sublime, que nos traga paz, que nos inspire amor, que nos eleve a alma, que facilite o estabelecimento desta ponte espiritual que nos liga a Deus; para isto, o ideal é podermos contar com um local apropriado, e nós usamos geralmente, o nosso Congá, nosso Templo. Prepara-se o ambiente queimando incenso, mirra, benjoim, iluminando com velas, reduzindo ou eliminando as luzes artificiais, para que tudo possa ocorrer com maior naturalidade.
Poderíamos comparar esta preparação com aquela que realmente realizamos quando aguardamos a visita de alguém importante, ou muito estimado, que há muito não vemos, ou de cuja presença nos orgulhamos. Nestes casos, sempre procuramos deixar a casa limpa, adornada com aquilo que sabemos ser do agrado de nosso visitante e, procuramos ter á mão, aquilo que possa ser ofertado a esse mesmo visitante, ou seja, naturalmente de seu máximo agrado. (…)”
Pai Ronaldo Linares, Orar é conversar com Deus!, Apostila do Curso de Formação Sacerdotal FUGABC, capítulo 07, pág. 256.
Gazeta de Limeira, Ano 88, n° 19.079, 21/09/2018, pág.04.

 

MENSAGEM 42
Vivenciar o Sagrado
“De alguma maneira, todos nos encontramos no pesado empenho de resgatar a grande e enigmática dívida que nos faz penar no decurso da nossa existência. As forças da natureza, a eternidade, as necessidades terrenas dos encarnados, o conforto espiritual, a passagem da vida para a morte, são alguns dos temas mais recorrentes com que a Umbanda está acostumada a trabalhar.
Expressão de uma fé tão intensamente arraigada no nosso inconsciente coletivo, fruto de nossa identidade cultural, a Umbanda interage com o universo místico, povoado de entes que vêm amparar os desvalidos. Sua peculiar ritualística é excepcionalmente rica em símbolos, cores, gestos, movimentos, sons e uma potente carga emocional.
Luz de velas, oferendas aos orixás, gestos extremados nos atos de devoção, olhares fixos e penetrantes, seriedade absoluta, gargalhadas, danças, jogos de corpo, movimentos inusitados do transe, conselhos, receitas de banhos com ervas, cantos, pontos riscados no chão, defumações, o bater marcante dos atabaques, o murmúrio das rezas: tudo em uma sucessão lancinante de emoções profundas, uma grande expressão do poder de penetração da alma humana. (…)”
Vagner Calzatti
Trecho do texto “Centenário da Umbanda”, projeto fotográfico para o SENAC, abril de 2008.
Gazeta de Limeira, Ano 88, n° 19.093, 05/10/2018, pág.06.

 

MENSAGEM 43
Preparar-se para a prática da Caridade
“É preciso que os aparelhos estejam sempre limpos, os instrumentos afinados com as virtudes que Jesus pregou aqui na Terra, para que tenhamos boas comunicações e proteção para aqueles que vêm em busca de socorro nas casas de Umbanda.
Pois bem, sejam humildes, tragam amor no coração, mas amor de irmão para irmão porque as vossas mediunidades ficarão muito mais limpas e puras, sutil a qualquer Espírito superior que possa baixar. Que os vossos aparelhos estejam sempre limpos, que os vossos instrumentos sejam sempre afinados com as virtudes que Jesus aplicou na Terra para que tenham boas comunicações, boas proteções, para todos aqueles que possam em busca de socorro nas nossas Casas de Umbanda, nas nossas Casas de Caridade em todo o Brasil.
(…) Fechai os olhos para a casa do vizinho; fechai a boca para não murmurar contra quem quer que seja; não julgueis para não serdes julgados; acreditai em Deus e a paz entrará em vosso lar. É dos Evangelhos (…).
Meus irmãos: sede humildes; trazei amor no coração para que pela vossa mediunidade possa baixar um Espírito superior; sempre afinados com a virtude que Jesus pregou na Terra, para que venha buscar socorro em vossas Casas de Caridade, em todo o Brasil (…).”
Espírito Caboclo das Sete Encruzilhadas
(Médium Zélio Fernandino de Moraes)
Gazeta de Limeira, Ano 88, n° 19.106, 19/10/2018, pág.04

 

MENSAGEM 44
A verdadeira oferenda
“Muitos médiuns vêm nos perguntar quais oferendas podemos dar no dia de determinado Orixá. Estamos agora passando uma receita básica que pode ser utilizada para qualquer Orixá ou Entidade.
Um pedaço (generoso) de fé, em estado rochoso, para que ela seja inabalável. Algumas páginas de estudos doutrinários, para que você possa entender as intuições que recebe. Um pacote de desejo de fazer caridade desinteressada em retribuição, para não “desandar” a massa. Junte tudo isto num alguidar feito com o barro da resignação e determinação e venha para o Terreiro. Coloque em frente ao Congá e reze a seguinte prece:
“Pai, recebe esta humilde oferenda dada com a totalidade da minha alma e revigora o meu físico para que eu possa ser um perfeito veículo dos teus enviados. Assim seja!”.
Pronto! Você acabou de fazer a maior oferenda que qualquer Orixá, Guia ou Entidade pode desejar ou precisar…
Você se dispôs a ser um médium.”
Espírito Caboclo Pery
(Médium Iassan Ayporê)
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 19.120, 02/11/2018, pág.06.

 

MENSAGEM 45
Parabéns UMBANDA! (15/11/1908 – 15/11/2018) 
Lei Federal nº 12644/2012 – Lei Municipal nº 5172/2013
110 Anos de Amor ao próximo, prática do Bem e da Caridade!
“A Umbanda é a manifestação do espírito para a prática da caridade.”
Espírito Caboclo das Sete Encruzilhadas (Médium Zélio Fernandino de Moraes)
“Eu sempre compreendi a Umbanda como uma comunidade de corações profundamente veiculados a caridade com a benção de Jesus Cristo e nesta base eu sempre devotei ao movimento umbandista no Brasil o máximo de respeito e a maior admiração.”
Francisco Cândido Xavier
“A Umbanda é uma religião profundamente ecológica. Devolve ao ser humano o sentido de reverência face às energias cósmicas. Renuncia aos sacrifícios de animais para restringir-se somente às flores e à luz, realidades sutis e espirituais.”
Leonardo Boff
Comemore conosco o aniversário da Umbanda:
6º Dia da Umbanda em Limeira, data: 18/11/2018, horário: das 13 às 17 horas, local: Centro Comunitário da CECAP, Avenida Fausto Esteves, s/nº – Conj. Víctor D´Andrea – entrada gratuita – informações: (19) 98127-9128 – tupjaet@hotmail.com – realização: Confraria dos Pretos Velhos de Umbanda, Dirigente Espiritual: Evandro Fernandes.
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 19.132, 15/11/2018, pág. 04.

MENSAGEM 46
Nada na matéria é eterno
“Nada na vida é eterno. Nada na vida tem caráter duradouro, senão efêmero.
Por que te apegas tanto ao que de matéria existe se teu verdadeiro ser pertence a outros planos?
É bem verdade que buscas na Terra o conforto material para seus dias de experiência, mas será que não estás fazendo de seus dias uma busca pelo conforto? E se assim é, para que?
O que retirarás em essência para tua vida após?
Vive pois, mas lembre-se de seu aprendizado.
Lembra-te do estágio porque estás passando e faz dele proveito para viver na eternidade.”
Espírito Caboclo Arranca Toco
28/07/1981
Livro: Umbanda sem medo vol. II – Umbanda no século XXI, autor: Claudio Zeus, capítulo XI – Mensagens de Sabedoria, pág. 90, contato: http://umbandasemmedo.blogspot.com/
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 19.138, 30/11/2018, pág. 06.

MENSAGEM 47
Filhos e irmãos de caminhada
“Amados filhos e companheiros de jornada, sede benfeitores de vós mesmos, colocando-vos a altura da esperança e meta traçada por Jesus para cada um de vós.
Essa benfeitoria, filhos, é a marca do vosso progresso em demanda do mais Alto.
Lembrai-vos que sois chamados a servir ao vosso próximo, levando até ele a água, a mais pura possível, do aprendizado sadio, da cura e da esperança consoladora que o Evangelho nos proporciona.
Vede, filhos, como é fácil e gratificante essa busca. Trata-se de uma aventura do espírito, junto a vossos guias, nessa subida à montanha sagrada da caridade. Mas, não vos esqueçais que essa montanha só pode ser galgada pela disciplina, pelo estudo e pelo trabalho, meios de levardes a vós mesmos, como benfeitores de vossas vidas, e aos vossos irmãos, o equilíbrio e a harmonia preconizados pela busca ascensional, cuja marca maior é o amor.
No vosso Templo sede esses queridos benfeitores. Vós, e os irmãos do vosso lado, deveis atirar-vos no mutirão da fé, e trabalharem, de forma dinâmica, para a libertação, de vós próprios e dos irmãos que forem colocados em vossos caminhos mediúnicos, da ignorância, mãe de todos os vícios e sofrimentos.
Sois amados e amparados pelos Guias que vos escolheram, para que juntos sejam os arautos dessa libertação.
Amai-vos e crescei juntos, vencendo as dificuldades com o zelo da religiosidade, da fé e do amor. Assim sereis felizes e encontrareis, em vossas vidas, a verdadeira paz e alegria.
Abençoo-vos com carinho, sempre o pai e amigo.”
Espírito Caboclo Ventania de Aruanda
Médium Valdo (T.E. Cruzeiro da Luz) Fonte:www.genuinaumbanda.com.br
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 19.159, 14/12/2018, pág. 04.

MENSAGEM 48
A harmonia na louvação ao sagrado
“Os atabaques e os instrumentos auxiliares devem estar integrados, na mais perfeita sincronia musical.
Os Ogãs obrigam-se a aprender o maior número possível de ritmos, facilitando a harmonização entre canto e toque, pois é terrível ouvirmos uma melodia em que as palavras não se ajustam corretamente aos sons produzidos pelos instrumentos, sem contar que as vibrações a que elas se destinam sempre acabam sofrendo alterações que redundam em sérios problemas na ligação com os Seres de Luz. Para evitar esse tipo de contratempo, um bom conselho é o treinamento, ou seja, o ensaio habitual entre aqueles que fazem parte da curimba da casa.
O som produzido pelo bater das palmas também ajuda na marcação e produz uma forte irradiação no local. Assim, o bom senso determina que os integrantes da engira aprendam a acompanhar cada toque do Ogã, criando uma harmonia geral entre canto, instrumentos e palmas, completando o conjunto de sons que vibram com as forças dos Orixás.”
Sandro da Costa Mattos – Ogã Alabê da APEU – Associação de Pesquisas Espirituais Ubatuba, O Livro Básico dos Ogãs, Editora Ícone, 1ª ed, 2005, págs. 65 e 66.
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 19.172, 28/12/2018, pág. 04.

MENSAGEM 49
Faça o BEM
“Faça todo o bem que puder, sem visar recompensas. Tenha ânimo forte, através de qualquer prova ou sofrimento: confie e espere. Faça recolhimentos diários, pelo menos de meia hora, a fim de meditar sobre suas ações. Não conte seus “segredos” a ninguém, pois sua consciência é o templo onde deverá levá-los à análise. Não tema a ninguém, pois o medo é uma prova de que está em débito com sua consciência. Lembre-se de que todos nós erramos, pois o erro é humano e fator ligado à dor, ao sofrimento e consequentemente às lições com suas experiências. Sem dor, lições, experiência, não há carma, não há humanização nem polimento íntimo, o importante é que não erre mais, ou melhor, que não caia nos mesmos erros. Passe uma esponja no passado, erga a cabeça e procure a senda da reabilitação: para isso, “mate” a sua vaidade e não se importe, de maneira alguma, com o que os outros disserem e pensarem a seu respeito. Faça tudo para ser tolerante, compreensivo, humilde, pois assim só poderão dizer boas coisas de você.”
Espírito Pai Guiné de Angola (Médium W.W. da Matta e Silva), Livro: Umbanda e Quimbanda na palavra de um Preto Velho, Editora Freitas Bastos, 5ª ed. 1984, págs. 69 e 70.
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 19.185, 11/01/2019, pág. 04.

MENSAGEM 50
Defesa do Alabê

“Já que você deu licença pra esse nego falar,
Não duvide da cabeça que tem coroa ou cocar.
Nenhuma auréola resiste ao tempo sem se apagar,
Se não tiver a serviço de Deus ou de um Orixá.
Preto-Velho vem de longe, minha crença tem estrada.
Moço, exijo respeito, a sua voz é “macriada”!
Não seja tão leviano, respeite minha Aruanda!
Tem quase cinco mil anos de existência a minha banda!
Às vezes, corações que ‘creem’ em Deus
São mais duros que os ateus.
Jogam pedras sobre as catedrais
Dos meus deuses iorubás.
Não sabem que a nossa Terra é uma casa na aldeia.
Religiões na Terra são archotes que “clareia”!
Ah, essa nossa Terra é uma casa na aldeia.
Religiões na Terra são archotes que “clareia”!
Num canto da casa, quem com fervor procura ajuda,
Tem um archote de Buda
Pra iluminar sua fé.
Lá onde a terra pouco verdeia,
Pra não se perder na areia,
Tem que ter lá na candeia
A chama de Maomé.”
Trecho da Ópera Alabê de Jerusalém, compositor: Altay Veloso, direção: Bárbara Veloso e Fábio de Mello, Versátil Home Vídeo, 2005 – 2013.
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 19.199, 25/01/2019, pág. 06.

MENSAGEM 51
Mantenha o vidro límpido e transparente

“Quanto mais o médium é simplesmente vidro transparente, que não embaça a passagem da luz, melhor reproduz o espírito que está querendo se manifestar e falar.
Somos um canal direto de comunicação entre o mundo espiritual e material, e como tal, devemos estar em constante manutenção. Manutenção essa através de reforma íntima e cuidados, bem como, banhos, defumações e preces. Muitos atribuem a má conduta de um médium a sua casa de axé. É como culpar a porta de uma casa pela entrada do ladrão. A porta foi somente o meio ou a via de acesso utilizada para a realização do furto, por negligência e desatenção do dono da casa (o médium). Não adianta receber a doutrina e não colocá-la em prática.”
Carine Fernandes da Silva
médium e morubixaba umbandista
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 19.213, 08/02/2019, pág. 04

MENSAGEM 52
Por que as Entidades Espirituais estalam os dedos e batem no peito?

“As Entidades estalam os dedos para ativarem o MONTE DE VÊNUS, aquela parte gordinha da mão que está ligada à sensibilidade. Este gesto faz com que sejam ativadas as defesas do corpo astral através do chacra esplênico, que é o chacra responsável pela defesa do organismo e do aura.
Assim, quando estalam os dedos, as Entidades estão em verdade dando um impulso no corpo astral do Médium, facilitando o contato, e mesmo manipulando determinadas correntes em beneficio do aparelho ou do consulente.
Quando estão dando passes, as Entidades estalam os dedos para livrarem-se das energias negativas que retiram do campo áurico do consulente. Em geral, os “estalos” com os dedos atraem forças positivas enquanto os gestos feitos como “chicotadas” com os três dedos da outra mão servem para descarga.
Da mesma forma, quando as entidades batem no peito, fazem a mesma coisa no plexo cardíaco, visando equilibrar emocionalmente o médium, preparando-o para uma gira. Assim cada chacra desperta um processo diferente de forças no corpo astral, para que os médiuns possam aguentar uma gira com tantos problemas a serem resolvidos, visíveis e invisíveis.”
William Oliveira (Mestre Obashanan)
Dirigente Espiritual do Templo da Estrela Verde
http://estrelaverde.org/web/
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 19.227, 22/02/2019, pág. 04.

MENSAGEM 53
Ser Mulher… 
“Mulher… Teia da vida que fia retalhos prateados que nos une ao transcendental.
É o símbolo da contestação, da mulher sexualmente livre, do empoderamento.
Doce como água do rio, intensa, que transborda sentimentos.
A mulher é o espelho e a espada. Pode ser guerreira, líder e senhora do seu destino. É como o vento, em constante movimento. Por muitas vezes leve como a brisa, e agitada e perigosa como uma tempestade.
É o princípio criador, aquela que gera, a grande mãe. Seu corpo carrega axé!
Ser mulher é deixar de lado a falta de colo para ser porto seguro de alguém. É ser forte e ser frágil. É ser a heroína com coração de mocinha. É desempenhar quantos papéis for preciso e ter prazer em todos eles. É ter muitos medos, mas não se curvar diante de nenhum. É “estar” e “ser” onde e quando quiser. Ser mulher é desafiador, mas não há nada mais bonito!
Ser mulher é ouvir com abraço, sorrir com olhos, chorar com espírito e sonhar com ação.”
Carine Fernandes da Silva
médium e morubixaba umbandista
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 19.241, 09/03/2019, pág. 12

MENSAGEM 54
Pedido na Areia 
“Eu escrevi um pedido na areia
Pedindo a Zâmbi pra me socorrer
Eu escrevi um pedido na areia
Mas foi Mãe D’Água que veio me valer
E foi nas ondas do Mar
Que entreguei os meus problemas
E aprendi a confiar
Que todo mal não dura para sempre
E que a Paz é uma semente que precisa semear
E no horizonte de um mar tão infinito
Iemanjá me acolheu e meu deu um mundo tão mais bonito
Eu abri meu coração, ela me estendeu a mão
E entreguei meu caminhar a Iemanjá”
Ponto Cantado de Umbanda
Autora: Carmem de Nanã
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 19.254, 22/03/2019, pág. 04

MENSAGEM 55
Se queres ser feliz
“Não deixes que de teu coração partam para outrem sentimentos que não gostarias que partissem para ti;
Não deixes de “tocar a lama” se for em proveito de ti ou de alguém que o mereça;
Não recues diante das dificuldades senão por momentos, enquanto sabiamente te recuperas e aprendes como vencê-las;
Não deixes que de tua boca saiam palavras que levem o gume afiado da espada que fere;
Se nada tens de bom a dizer, cala-te sabiamente e reflete;
Não procures ouvir àqueles que de outros e da própria vida só trazem palavras amargas;
Eles são negativos e ao se achegarem a ti, procuram apenas alguém que com eles comungue em pensamentos e obras;
Procures ser sempre um instrumento de paz e concórdia;
Evites discussões que certamente te levarão a nada, principalmente com pessoas de ideias pré-concebidas;
O que eles querem é provar a si mesmos uma superioridade e segurança que não existe, e que no fundo, sabem ser uma real inferioridade. Eles alardeiam suas ideias em altos brados procurando convencer a si próprios de que carregam consigo a verdade das verdades;
Fales apenas o necessário e sobre assuntos de que tenha real conhecimento;
Combatas sempre que possível o ódio com o amor;
Evites deixar-te levar pelo rancor – ele só lhe trará distúrbios de consequências imprevisíveis;
Procura na tua fé, no teu credo, a comunhão com DEUS e com os exemplos deixados por seu filho amado, nosso mestre JESUS;
E desse modo… tu serás feliz!”
Espírito: Pai Congo de Aruanda
Livro: Umbanda sem medo vol. I, autor: Claudio Zeus, pág. 56
Gazeta de Limeira, Ano 88, nº 19.268, 05/04/2019, pág. 04

MENSAGEM 56
O Sagrado

“O Sagrado é a Espiritualidade universal, inerente a todos os Seres Humanos, corresponde à Essência de cada um de nós e transcende ao corpo físico, assim como a toda forma de energia. O Sagrado é, portanto, atemporal, adimensional — Eterno e Infinito.
Nossa consciência oscila entre a percepção das formas temporais e a percepção do Ser-em-Si, do Sagrado dentro de nós, que não tem forma, nem tempo. Infelizmente, nossa sociedade atual polariza-se na Realidade material, esquecendo-se da Realidade Espiritual, já não percebemos que a realidade material é apenas uma manifestação do Espírito e que, assim como teve início, terá fim.
A consequência direta da hipervalorização da forma em detrimento da Essência é que passamos a pautar nossos valores e relações sociais em função das diferenças aparentes que existem entre nós. Advêm daí os vários preconceitos e discriminações como os relacionados com a etnia, com o sexo, com a cultura, com o nível sócio-econômico, com a religião etc.”
Francisco Rivas Neto
Livro: Umbanda – A Proto-Síntese Cósmica, ed. Pensamento, 2008.
Gazeta de Limeira, Ano 88, n° 19.303, 11/05/2019, pág.14

MENSAGEM 57
Cultura de Paz

“A cultura da paz se edifica diariamente: na maneira como nos relacionamos com nossos semelhantes, como lidamos com as dificuldades e conflitos, na valorização do ser humano, do exercício do respeito e da tolerância. E, para que isto ocorra, é imprescindível deixar que os princípios da não violência regulem nossos posicionamentos, palavras e julgamentos. Talvez, dentre todos os processos envolvendo o ser humano, o mais complexo seja o relacionamento dele com ele próprio. Por se caracterizar um processo, as dificuldades se avolumam, não há um manual que nos conduza à convivência fraterna, pacífica em que os territórios são placidamente demarcados e respeitados. Nesse conflito são inseridas individualidades, competitividade, ganância, ânsia de comando, de liderança e de sujeitamento do outro. Portanto, tudo o que se anseie nesse campo da convivência, transita na esperança e não em dados palpáveis. A paz tem sido um dos grandes anseios da humanidade através dos tempos. Em nome dela, mata-se, agride-se, domina-se. Um dos passos primordiais para se pensar a cultura da paz, é promover práticas sociais que englobem as relações interpessoais, o estímulo à cooperação, a partilha, possibilitando a convivência, a tolerância, o respeito às diferenças de pensamentos, de culturas, classes sociais, raças, religião e diversidade. Que tenhamos coragem de por em prática tudo o que aqui ouvimos para construirmos a civilização do Amor!”
Padre Rene José de Sousa
Trecho da Palestra: “O diálogo como caminho de superação da intolerância religiosa e construtor de pontes entre irmãos”, realizada no dia 16/05/2019 na sede da Confraria dos Pretos Velhos de Umbanda – Limeira/SP.
Gazeta de Limeira, Ano 89, n° 19.316, 24/05/2019, pág.06

MENSAGEM 58
Onde estiver, seja Paz!

“Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele ou por sua origem, ou sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender. E se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar, pois o amor chega mais naturalmente ao coração humano do que o seu oposto. A bondade humana é uma chama que pode ser oculta, jamais extinta.”
Nelson Mandela
Vamos juntos emanar respeito e amor ao próximo com muita Paz!
Participe da 6ª Caminhada Contra a Intolerância Religiosa em Limeira – Onde estiver, seja Paz!
Domingo 16/06/2019 – Saída às 9 horas da Prefeitura Municipal de Limeira – Edifício Prada – Jardim da Fonte e Chegada no Palco da Praça do Museu.
Realização: Fórum Inter-Religioso de Limeira.
Apoio: Prefeitura Municipal de Limeira, Fórum Inter-Religioso Estadual e Escola Legislativa Paulo Freire.
Maiores informações: fórum.interreligioso.limeira@outlook.com
Gazeta de Limeira, Ano 89, n° 19.324, 07/06/2019, pág.04

MENSAGEM 59
A importância do desenvolvimento mediúnico

“Quando um médium recebe orientação adequada e busca o contato positivo com entidades mais evoluídas (sem desprezar as outras, é claro) está buscando ajuda para a organização correta de sua guarda espiritual e, por consequência, de toda a sua vida espiritual e material pois, ao conseguir seu intento, terá a certeza de que estará entregando sua cabeça e a orientação dos menos evoluídos que o acompanham, para aqueles que realmente saberão o que fazer. Desse modo, se a cabeça recebe orientação de quem sabe fazê-lo, no instante da incorporação só entrará aquela entidade que realmente tiver de fazê-lo, pois toda a sua guarda estará trabalhando em comum acordo.”
Livro: Umbanda sem medo vol. III, autor: Claudio Zeus, pág. 23
Gazeta de Limeira, Ano 89, nº 19.358, 05/07/2019, pág. 04

MENSAGEM 60
A prática da caridade

“É importante salientar que a prática da caridade, seja ela como for, tem por objetivo básico e subliminar, fazer com que o ser (encarnado ou não) se desprenda um pouco, pelo menos, de si mesmo e seus problemas e passe a ver todos à sua volta como humanos que nem ele, ao mesmo tempo em que faz ver aos caridosos que eles não são as piores pessoas do mundo – os esquecidos por Deus, em linhas gerais – por piores que se sintam.
Subliminarmente, então, praticar a caridade sem ansiar por retornos significativos de quaisquer espécies (até porque se não for assim não é caridade real chegando a ser às vezes pura demonstração de “bondade (?)”; em outras palavras VAIDADE) chega a ser um tratamento para aqueles que estão sempre centrados em seus próprios problemas e que por isto mesmo sofrem cada vez mais.”
Livro: Umbanda sem medo vol. IV, autor: Claudio Zeus, pág. 100
Gazeta de Limeira, Ano 89, nº 19.378, 26/07/2019, pág. 04

MENSAGEM 61
Bem-vindo Agosto
“Mês de agosto é dedicado ao Orixá Obaluayê. Mês da quietude, do silêncio, da reflexão…
Orixá da vida, da evolução… O que você tem feito da vida? Está buscando conhecimento, se dedicando a espiritualidade e a reforma íntima? Ou se encontra na inércia, estagnado, esperando por um milagre ao qual não fez por merecer?
Obaluayê, um Orixá terra, nos remete as raízes ancestrais e nos estimula a criar vínculos e laços, bem como compromissos, nos mantendo em terra firme, com os pés no chão. O Orixá da cura, que nos envolve em sua energia telúrica, fazendo nos sentir filhos e abençoados.
Com sua pipoca que mais parecem delicadas flores, nos banha, retirando todas as mazelas que se agregam em nosso períspirito.
Se observe, se vigie. Não permita que negativas formas-pensamentos se alojem no seu mental. Perdoe, sinta-se grato, agradeça! Abra seu coração para as bênçãos desse maravilhoso Orixá.
Não deixem suas fraquezas gritarem mais alto que seu interior, sua essência!”
Carine Fernandes da Silva
médium e morubixaba umbandista
Gazeta de Limeira, Ano 89, nº 19.392, 09/08/2019, pág. 04

2019 © Confraria dos Pretos Velhos de Umbanda

Cultura - Educação - Direitos Sociais - Religião

Developed by Vinícius S F Santos